sábado, 12 de setembro de 2015

                                 HOMOSSEXUALISMO 




Esse é um dos assuntos mais discutidos nos meios de comunicação. O interesse por tal tema vem do fato de haver uma pauta em todas agremiações, onde se discute a função ética do papel das novas configurações familiares, e como as entidades de educação e religiosa vão encarar as novas regras que agora estão muito mais discutido na cúpula da política.

De fato a sociedade vem encarando de forma natural os avanços ético-comportamental do gênero homem-mulher.
Sabemos que se convive muito mais hoje do que nunca, com essa situação.

Sabemos que o estado age de forma a intervir no tema em questão, não por ser intrinsecamente o papel deste legislar em cima de opções de cunho moral.

Vamos esperar e arriscar o desfecho das decisões que agora se toma nos tribunais? E como que podemos atuar? O Estado conquanto não possa atuar de maneira decisiva em prol, ou não, desta ou daquela posição, ainda que, a que mais se aproxima do racional, e ainda tem o respaldo da cultura judaico-cristão, seja desprezada. 

Uma coisa é certa, a luta é desigual, visto o aparato dos meios de comunicação influenciando a decisão a favor do anormal, do ponto de vista racional, ao menos.

Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea. Marcos 10:6


Nenhum comentário:

Postar um comentário